webmail metalmat

brasil
espanhol
ingles

cancel

05 05 metalmat noticia semanametalmat

É com grande satisfação que anunciamos a quinta edição da Semana Metalmat e Painel PEMM, que ocorrerá entre os dias 24 e 28 de junho. Este evento tem como objetivos integrar estudantes, engenheiros e professores para discutir desafios, oportunidades e perspectivas da área, bem como divulgar os trabalhos desenvolvidos nos diversos grupos de pesquisa do Programa de Engenharia Metalúrgica e de Materiais a fim de complementar a formação acadêmica dos participantes.

A logo da V Semana Metalmat foi escolhida por concurso realizado ao final de 2018, e apresenta o número 5 em algarismo romano, estilizado em forma de dendritas que formam o seu contorno e representam o fenômeno de nucleação e crescimento, que por sua vez, relaciona o evento às áreas de conhecimento do Departamento de Engenharia Metalúrgica e de Materiais.

O evento repetirá o formato bem-sucedido das edições anteriores, incluindo apresentações orais e em pôster de alunos de graduação e pós-graduação, palestras de convidados e minicursos com temas relevantes ao nosso universo de conhecimento. Esta edição contará ainda com visitas técnicas. Os trabalhos serão publicados na forma de anais com registro ISBN como nas edições de 2017 e 2018.

A apresentação dos trabalhos em desenvolvimento pelos pós-doutores, estudantes de mestrado em tempo integral que tenham defendido o seminário de mestrado e estudantes de doutorado em tempo integral que tenham defendido seu exame de qualificação é compulsória. Estudantes de graduação, bolsistas de iniciação científica, técnicos e estudantes de pós-graduação não enquadrados nos casos acima são encorajados a apresentar trabalhos, de forma que sua aceitação fique sujeita à disponibilidade dentro da programação do evento. Como nas edições anteriores, haverá premiação para os melhores trabalhos nas diversas categorias.

A submissão dos trabalhos terá início no dia 8 de abril e deverá ser realizada diretamente AQUI.

Serão aceitos trabalhos em todas as linhas de pesquisa do PEMM, isto é: Biomateriais, Cerâmicas Avançadas, Corrosão, Metalurgia Extrativa, Tecnologia Mineral e Ambiental, Processamento Termomecânico e Engenharia Microestrutural, Propriedades Mecânicas e Metalurgia Física, Soldagem e Ensaios Não-destrutivos, Superfícies e Filmes Finos, Materiais Poliméricos, Materiais Compósitos e Métodos Matemáticos.

Datas importantes:

Limite para submissão de trabalhos: 10 de maio (sexta-feira)
Devolução de trabalhos revisados pelo comitê avaliador:  21 de maio (terça-feira)
Limite para submissão de trabalhos corrigidos:  27 de maio (segunda-feira)
Apresentação dos trabalhos (oral ou painel): 24 a 27 de junho

Links importantes:

Últimas notícias
Instagram
Facebook

Contamos com sua participação!
Atenciosamente,

Comitê organizador
Prof. Cesar Giron Camerini
Prof. Hector Guillermo Kotik
Profª. Renata Antoun Simão
Prof. Rodrigo Magalhães de Carvalho
Anderson Pereira
Beatriz Rodrigues Canabarro
Getúlio Cicero
Larissa Chiesa
Yago Moraes

28 03 NoticiaNo dia 29/03/2019, ocorrerá a palestra com título "ROCKY DEM na Simulação de Sistemas Particulados" ministrada por Clóvis Maliska Jr. (Presidente da ESSS) e Alexander Potapov (CTO do ROCKY DEM) na sala F-226 às 11h.

Data: 29/03/2019
Horário: 11h
Local: sala F-226

18 01 metalmat noticia docenteAcompanhe abaixo as informações do Concurso Docente (Adjunto A) para o Programa de Engenharia Metalúrgica e de Materiais (PEMM) da UFRJ na área de Metalurgia Extrativa, com foco em Siderurgia.

Confira AQUI o Edital;

Confira AQUI o Programa;

Confira AQUI a Resolução CONSUNI 18/2018;

Confira AQUI a composição da Banca Examinadora;

Confira AQUI o Calendário de Provas. 

27 02 metalmat noticia editalpemmO projeto Integridade Estrutural em Instalações na Indústria de Petróleo, Gás, Biocombustíveis e demais Energias Renováveis foi selecionado no Programa de Formação de Recursos Humanos da Agência Nacional de Petróleo (PRH-ANP) financiado em parceria com a Finep. Com nota 9,3/10 e como 3º colocado na classificação geral dentre 55 contemplados, esse projeto, coordenado pelo prof. Celio Costa do PEMM/DMM e em parceria com as Engenharias Civil, Naval e Oceânica, e Petróleo, visa investir na formação e qualificação técnica de pessoal para os setores de energia citados. Em breve, serão divulgados o número de vagas e os critérios de seleção para os interessados. O programa abrange alunos de graduação, mestrado e doutorado, além de pós-doutores e pesquisadores.

22 12 Metalmat NoticiaA mudança climática é uma das questões mais urgentes do nosso tempo, segundo as Nações Unidas. Há cerca de 30 anos, o Laboratório de Hidrogênio da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) vem estudando formas limpas e alternativas de produzir energia a partir do hidrogênio, sem contribuir para o aquecimento global.

Um estudo lançado em 2017 pelo Instituto de Energia e Meio Ambiente (IEMA) indica que os automóveis são responsáveis por 72,6% das emissões de gases do efeito estufa na cidade de São Paulo – e a frota de ônibus representa a maior parte deste percentual. Uma das tecnologias desenvolvidas pelo Laboratório de Hidrogênio da UFRJ é um ônibus híbrido movido a hidrogênio e eletricidade que não polui o meio ambiente.

Um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ODS) é assegurar o acesso confiável, sustentável, moderno e a preço acessível à energia para todas e todos – o objetivo 7 entre os 17 que deverão ser cumpridos até 2030 por todos os 193 países que fazem parte da ONU. Firmado em dezembro de 2015 durante a COP21 (21ª Conferências das Partes) da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima, o Acordo de Paris é um esforço internacional coletivo para combater a mudança climática e seus efeitos. Ratificado até o momento por 184 dos 197 países que fazem parte da convenção, é uma iniciativa inédita no combate ao aquecimento global. 

Um dos objetivos do compromisso é limitar o aumento da temperatura global a 1,5 ºC até o final do século. O cumprimento, contudo, depende de uma drástica redução na emissão de gases de efeito estufa. Um dos caminhos para alcançar esta meta é a substituição de combustíveis poluentes por alternativas sustentáveis que não agridam o meio ambiente.

“Nós estamos preparando o Brasil com dispositivos tecnológicos para a transição enérgica dos combustíveis fósseis para energias renováveis e energia do hidrogênio”, disse o professor Paulo Emílio de Miranda, coordenador titular do Laboratório de Hidrogênio da (COPPE/UFRJ).

Saiba mais na matéria especial do Centro de Informações das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio) aqui.

Topo